Make your own free website on Tripod.com



APÓCRIFOS & RELIGIÃO    Free Counter
Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem. ( I te. 5: 19,20,21 - BIBLIA)





O Nome do Altíssimo através das eras

YAOHU UL quer que o homem conheça Seu Nome. No decurso da história dos Yaoshorulitas, até a época em que retornaram a Yaohudah (Judá), após o cativeiro deles em Babilônia, o uso do Nome YAOHU continuou a ser comum. O Rei Davi, um agradável ao coração do próprio Altíssimo, usou extensivamente o Nome do Criador.

Este ocorre centenas de vezes nos Tehillim (Salmos) que ele escreveu (Atos 13:22 ). O Nome do Altíssimo estava também incorporado em muitos nomes pessoais Yaoshorulitas. Assim, lemos sobre OdmaYAOHU (Adonias - "YAOHU me Governa"), YaoshuaYAOHU (Isaías - "Salvação de YAOHU"), YAOHUnaokhan (Jônatas - "YAOHU tem dado"), MichaYAOHU (Miquéias - "Quem é semelhante a YAOHU?") e YAOHUshua (Josué - "YAOHU é Salvação").

No nome de ManYAOHU que também é um louvor a YAOHU, significando "Agradável é YAOHU", ocorreu corrupção: quando foi traduzido, escreveram Mateus que é um louvor a Zeus - Veja: Man + YAOHU. Agora veja como foi traduzido: Ma + THEOS onde THEOS = ZEUS. Com isso, transformaram o significado de "Agradável é YAOHU" em "Agradável é Zeus". É muito importante notar que nomes próprios não são traduzíveis, mas apenas transliteráveis, o que consiste em transpor som a som do nome em sua língua de origem para a língua de destino. No caso de ManYAOHU, não só a tradução não deveria ter sido feita, como também jamais se deveria ter permitido a substituição do Nome YAOHU pelo nome de um ídolo da mitologia grega. Note também que as palavras ZEUS, THEOS e DEUS são a mesma palavra em termos linguísticos, razão pela qual o título "DEUS" é idolátrico e blásfemo para ser usado em relação ao Altíssimo YAOHU UL.

O Nome do Altíssimo fora da Bíblia

Existem várias evidências de fontes de fora da Bíblia a respeito do uso extensivo do Nome do Altíssimo nos tempos antigos. Em 1961 uma antiga caverna mortuária foi descoberta um pouco a sudoeste de Yaohushuaoleym, segundo um artigo na Israel Exploration Journal, (Volume 13, N, 2). Nas suas paredes havia inscrições hebraicas, que aparentemente datam da segunda metade do oitavo século AEM (Antes da Era Messiânica). As inscrições contêm declarações tais como: "YAOHU UL é o Supremo Altíssimo de toda a terra".

Em 1966 publicou-se um artigo na Israel Exploration Journal (Volume 16, n 1) a respeito de fragmentos de cerâmicas com inscrições hebraicas neles encontrados em Arade, no sul de Yaoshorul. Estas foram inscritas na segunda metade do sétimo século AEM. Uma delas era uma carta pessoal a um homem chamado Eliasibe. A carta começa assim: "Ao meu maór Eliasibe: Que YAOHU UL peça a tua paz", e termina: "Ele mora na casa de YAOHU".

Em 1975 e 1976, arqueólogos que trabalhavam no Neguebe descobriram uma coleção de inscrições hebraicas e fenícias sobre a parede de estuque, grandes jarras de estocagem e vasos de pedra. As inscrições incluíam a palavra hebraica para o Altíssimo, YHWH, em letras hebraicas. Na própria Yaohushuaoleym foi descoberta recentemente uma pequena faixa de prata enrolada, aparentemente datada de antes do exílio babilônico. Os pesquisadores dizem, que quando foi desenrolada, encontrou-se escrito nela o Nome YAOHU em hebraico.

Biblical Archaeology Review, março/abril de 1983, página 18.

Os Yaohudim (judaicos) e o Nome do Altíssimo

Ninguém pode dizer com certeza quando foi exatamente que os Yaohudim ortodoxos deixaram de pronunciar audivelmente o Nome do Altíssimo e, em vez disso, o substituíram pela palavra Adonai (Proveniente do ídolo "Adonis"). Alguns crêem que o Nome YAOHU deixou de ser usado cotidianamente bem antes dos dias do Messias. Mas, há forte evidência de que o sumo sacerdote continuou a pronunciá-lo nos ofícios religiosos no templo, especialmente no Dia da Expiação - até o templo ser destruído em 70 EC. Assim, quando o Messias esteve na terra, a pronúncia do Nome era conhecida, embora não fosse amplamente usada.

Algumas razões de ordem religiosa humana levaram os Yaohudim a não pronunciarem abertamente o Nome do Pai, YAOHU.

Uma delas se relaciona diretamente às penalidades previstas na Lei, de que seria passível de morte aquele que blasfemasse o Nome YAOHU. Por precaução de não vir a ser acusado de blasfêmia, e consequentemente apedrejado até a morte, o Yaohudi no cotidiano deixou de pronunciar o Nome, ficando a Sua pronúncia reservada para as cerimônias religiosas e para o ensino tradicional doméstico.

Outra razão foi a tentativa de ocultar dos gentios o conhecimento do Nome, com o objetivo de não permitir que o Nome fosse blasfemado por eles. Esta tentativa, sem dúvida, vai muito além da proteção que YAOHU UL providenciou para Seu próprio Nome. A proteção que YAOHU UL providenciou foi clara e afirma que YAOHU UL não terá por inocente aquele que usar em vão o Seu Nome. O uso indevido do Nome YAOHU é assunto de juízo futuro da parte do próprio YAOHU UL, e não assunto em que os homens tenham de tomar "providências adicionais" para proteger o Nome de blasfêmias ou uso indevido.

Como tudo que vai além da Palavra de YAOHU UL, ou fica aquém da Palavra de YAOHU UL, não produz bons resultados, a consequência destas atitudes foi uma indevida substituição do Nome na leitura das escrituras ou na conversação normal, por outros nomes ou expressões dentre as quais são mais comuns "adonay" e "ha-shem". A forma "adonay" não consta das Sagradas Escrituras. É um simples derivado do nome do ídolo "Adonis", ídolo da beleza e fertilidade masculina. Esta adaptação tendenciosa e expúria deu origem ao tão popular "jeová" dos dias atuais. A forma "ha-shem" no hebraico moderno significa simplesmente "o nome". Contudo, esta forma está bastante comprometida com culto pagão do ídolo "shemiramis". A forma original arcaica desta mesma expressão seria "hol-shuam", ainda assim sendo uma referênica ao Nome, mas não o próprio Nome.

PARA LER O PRÓXIMO CAPÍTULO CLIQUE ABAIXO...

   




HOME