Make your own free website on Tripod.com



APÓCRIFOS & RELIGIÃO    Free Counter
Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem. ( I te. 5: 19,20,21 - BIBLIA)





Alguns nomes e títulos que as pessoas usam para se referirem ao Messias.

Não se deve referir ao Messias pelos nomes abaixo relacionados, pelas razões que claramente explicaremos:

A tradução do Nome imutável do Messias, mais aceita popularmente, é baseada no idioma grego. O próprio Messias YAOHUSHUA nos afirmou que "A salvação vem dos Yaohudim" (judaicos), não do grego! Além disso, o Mais Sagrado Nome de nosso Criador, repetindo, não pode ser alterado de acordo com as nacionalidades e línguas do homem! Este é um costume tipicamente pagão e bárbaro na adoração de seus ídolos!

De onde saiu o engano de que o Nome de nosso Criador, e de Seu Filho, podem ser mudados de acordo com as línguas ou com os países? Qual é a base escritural desse costume, se é que há alguma? Nenhuma base, realmente nenhuma!

Certamente não foi da Bíblia que este ensinamento surgiu! Isto é do mundo! Então vamos reformar e começar a clamar pelo nosso verdadeiro e real Criador a partir de agora!

O vocábulo "Yehoshua"

Este vocábulo, erroneamente usado por muitos, é dos mais simples de se provar o erro. Ora, já estudamos anteriormente as razões malignas do Nome do Pai ter sido corrompido para "yehovah", pela concatenação dos massoréticos da palavra "adonay", proveniente do ídolo "Adonis", sobre o Tetragrama Sagrado. O vocábulo "yehoshua" nada mais é do que uma tentativa humana de conceber um nome para o Messias a partir do nome "yehovah". Para os que assim deram início a esta falsa crença, uma vez que consideravam o Nome do Pai como "yehovah", logo, consideravam o Nome de Seu Filho como "yehoshua". Quando o nome "yehovah" cai por terra, imediatamente o nome "yehoshua" cai junto.

Os vocábulos "Yashua" e "Yeshua"

Há duas razões claras que evidenciam ser estas pronúncias erradas e blásfemas para o Nome do Messias:

Vejamos a primeira:

É errado referir-se ao Messias como "Yahshua" ou "Yehshua" simplesmente porque, no hebraico arcaico as palavras "az", "ayz" e "eyz" se referem a um bode. Assim, quando você diz "Yahshua" ou "Yehshua" isto tem o significado literal de "o bode que salva" em hebraico arcaico. Você pode facilmente verificar isto olhando as palavras-raízes usadas nas Escrituras Hebraicas para a palavra bode. Especialmente olhando para o ítem de concordância número 5796 do Dicionário Hebraico-Caldeu ou qualquer outra concordância confiável.

Para compreender um pouco melhor esta questão, é preciso primeiramente compreender o sentido de "cacofonia", em português. Cacofonia é a formação de uma outra palavra expúria, por junção de duas outras palavras numa frase ou expressão. Alguns exemplos disso são:

"Foi vestida a roupa nela" - Nota-se a formação da palavra expúria "panela", que nada tem a ver com o contexto da frase.

"Este leque não abana nada" - Nota-se, neste caso, a formação não só de uma palavra, mas de uma expressão expúria na frase, qual seja: "Não há bananada".

Se você foi capaz de compreender isto, então será fácil compreender que, em hebraico arcaico original, quando se diz "yehshua" ou "yahshua", o que se está dizendo com fácil percepção auditiva é "o bode salva".

Você irá também perceber em sessões subsequentes deste material de pesquisa, que a forma de soletrar não é o que importa. O ponto vital é o que nós falamos, conforme interpretado através das Escrituras e para qual espírito invisível estes sons se referem, independentemente de como se soletra. Uma vez que a palavra para bode em hebraico arcaico é "az" ou "eyz", qualquer um ainda estará se referindo a ele sejam estas palavras escritas com "ahz" ou "aaaz" ou "ace", especialmente quando orando a espíritos invisíveis. Seria o mesmo que, em português, escrevermos a palavra "faca" como "faka" ou "phaca" ou ainda "phaka". Obviamente somente a primeira escrita é a correta, porém, todas tem o mesmo som e se pedirmos uma "faka" ao garçom de um restaurante, ele certamente nos trará uma "faca", baseado no que ele realmente nos OUVIU pedir.

Lembre-se que quando duas palavras são faladas sem nenhuma diferença de posição da língua contra o palato e aos lábios, as palavras são a mesma palavra, tanto quanto nos referimos à invocação de seres espirituais invisíveis. Por exemplo, se alguém chama o espírito inimigo, satan, ele irá atender independentemente de se escrever zeytan, zheytan ou z-taan. Assim, quando você chama "yahshua" ou "yehshua", o "bode" certamente ficará agradecido de ser considerado seu redentor. Isto é o cumprimento de sua missão: enganar, e fazer o incauto considerá-lo o redentor. O impostor é, francamente, fraudulento.

Vejamos a segunda:

Os Yaohudim (judaicos) têm até os dias de hoje, o costume de suprimir uma letra dos nomes que eles, por qualquer motivo, considerem malditos. É muito comum encontrar-se escritas como "B'al" ou "B-al" em lugar de "Baal". Também, fora do aspecto religioso, para rixas pessoais, se o "Joaquim" for considerado maldito, seu nome será escrito "Joa'uim" ou "Joa-uim". Este costume popular teve sua origem na proibição escritural de que nenhum nome de ídolo deveria ser ouvido de seus lábios, o que realmente é verdadeiro, pois YAOHU UL realmente nos proibiu de sequer pronunciarmos seus nomes. Com o tempo, porém, tal costume foi generalizado, passando a ser usado para qualquer nome ou palavra que fosse, de alguma forma, considerada maldita.

Ora, os Yaohudim (judaicos), como nação, não como indivíduos, rejeitaram o Messias em Sua vinda, e, portanto, Seu Nome era, e é, considerado maldito por eles, como nação. A partir daí, de imediato se suprimiu a letra VAV, central, alterando-se a pronúncia para "yahshua", a partir do Nome original, ou "yehshua", a partir do nome errôneo "yehoshua" que já analisamos anteriormente. Posteriormente, para os que não conheceram o Nome Original, crendo ser "yahshua" ou "yehshua" o Nome do Messias, novas supressões foram feitas, chegando a encontrarmos o nome escrito como "Y'shua", onde também a letra "Hey" foi suprimida.

É, portanto, errôneo se referir ao genuíno Messias como "yahshua" ou "yehshua". O correto e exato Nome do Messias é: YAOHUSHUA (pronunciado IAU-RRÚ-SHU-A, com a tônica no "RRU"). O Nome "YAOHUSHUA" significa claramente "YAOHU É SALVAÇÃO"! Este exato Nome original traz, de fato, em si, o Nome do Criador, o Pai. É o verdadeiro Nome do autêntico Messias.

O vocábulo "Jesus"

A evolução do termo de uma língua para outra é a seguinte:

Yehshua (hebraico corrompido) - Iesous (Grego) - Iesus (latim) - Jesus (português)

(OBS.Note que os tradutores não usaram o nome original do Messias YAOHUSHUA para fazer a tradução, além do fato já conhecido que nomes próprios não são traduzíveis, mas apenas transliteráveis).

Poucos sabem que o vocábulo Jesus é a tradução do grego IESOUS (em latim IESUS) a partir do hebraico YEHSHUA (significa literalmente, "o bode que salva") e portanto tornando errado referir-se ao Messias por "Jesus", como as grandes massas hoje fazem.

Já vimos que o vocábulo JESUS não se deriva diretamente de YAOHUSHUA (forma original), mas da forma YEHSHUA, através do grego e do latim que tem o significado "o bode salva". A letra J inicial se explica da seguinte forma: os Yaohudim da Dispersão, empenhados em traduzir as Escrituras do hebraico para o grego (a Septuaginta), não encontraram nessa língua uma consoante correspondente no hebraico. A solução, então, foi recorrer à vogal grega iota, que corresponde ao nosso "i". Então escreveram Ieremias, começando com i, e assim, por diante, inclusive Iesous.

Mas como foi que esse "i" tornou-se "J" ?

Foi através do latim, que deu origem às línguas neolatinas, entre as quais está o português. No latim posterior à Idade Média, começou a aparecer na escrita a distinção que já existia na pronúncia entre o "i" vogal e o "i" consoante, o qual passou a ser grafado "J".

Agora, a explicação para o "S" médio em "Jesus". No vocábulo hebraico YESHUA, o grupo sh representa a consoante shin. Por não haver em grego som correspondente a essa consoante fricativa palatal (que soa como a letra "x" em "eixo"), os Yaohudim a substituíram por "sigma", também fricativa, mas linguodental (que em grego, mesmo entre vogais, soa como o nosso "s"). O ditongo grego "ou" soa "u", como em francês.

O aparecimento do "s" final no nome "Jesus" se explica pela necessidade de tornar esse nome declinável: Os Yaohudim substituíram a letra "ayin" final pela letra "sigma" (o s do grego) do caso nominativo. Nos outros casos a palavra se declina assim: Iesou (genitivo), Iesoi (dativo), Iesoun (acusativo) e Iesou (vocativo). Com isso, foram, aparentemente, resolvidos dois problemas de uma só vez: O nome ficou declinável, e o "ayin" final, que não tem equivalente em grego, foi substituído por um "sigma" (letra "s").

Outras claras considerações sobre o vocábulo "Jesus" são as que seguem abaixo:

  • Não existe letra "J" em hebraico, seja arcaico ou seja moderno. A letra "J" só apareceu no século XIV, portanto o Messias jamais poderia ter um nome que começasse ou possuísse a letra "J".

  • O Nome do Filho traz em si o Nome do Pai. As escrituras mostram isso com clareza. O nome "Jesus" absolutamente não traz em si o Nome do Pai.

  • O Nome do Filho traz em si um significado que o nome "Jesus" não traz! As Sagradas Escrituras mostram em Mat-us 1:21 o seguinte: "...ela dará à luz um Filho, e lhe porás o Nome de ....... PORQUE ELE SALVARÁ O SEU POVO DOS PECADOS DELES". O anjo que informou o Nome que o Messias deveria receber, também EXPLICOU por que Ele receberia este Nome. A explicação do Nome do Messias tem a ver com o significado de Sua obra redentora. Esta explicação e significado não se encontra de forma alguma no popular, mas falso, "Jesus". O nome "Jesus" não diz respeito à salvação alguma, nem possui significado algum que se pudesse sequer comparar com a explicação do anjo. O verdadeiro Nome do Messias, YAOHUSHUA, este sim, possui toda esta riqueza de significado.

  • As Sagradas Escrituras afirmam que "A salvação vem dos judeus". O Messias foi prometido aos judeus nas Sagradas Escrituras Hebraicas, nasceria do povo judeu, nasceria em Belém de YAOHUdáh (Judá), e obviamente, teria um Nome judaico. O nome "Jesus" não é, absolutamente, de origem judaica, mas sim, greco-romana!

PARA LER O PRÓXIMO CAPÍTULO CLIQUE ABAIXO...

   




HOME